5 dicas para Planejar 2018

Foto: internet

Com a temporada de férias ocupada se aproximando rapidamente, agora é o momento em que muitos proprietários de pequenas empresas começam a pensar em metas para o próximo ano – talvez esteja se expandindo para uma localização adicional, introduzindo um novo produto ou mesmo contratando pessoal para conseguir um melhor trabalho – equilíbrio de vida.

Assim como você fez quando você desenvolveu seu primeiro plano de negócios, é importante dar um passo atrás e avaliar o seu próximo conjunto de metas – dessa forma você está gerenciando sua empresa de forma proativa e estabelecendo benchmarks mensuráveis que você pode acompanhar.

Com base em minhas conversas com empresários como você, aqui estão cinco dicas para garantir que você esteja planejando o sucesso:

1. Faça um balanço de onde você está.

Como com qualquer objetivo, o primeiro passo é avaliar com precisão onde você está agora. Pergunte a si mesmo, onde é o seu negócio financeiramente? Quais são suas despesas comerciais atuais e antecipadas ? Existem algumas áreas que ainda faltam que precisam ser melhoradas para o novo ano? Quais são os pontos fortes e os êxitos sobre os quais você pode construir? Saber onde você está agora dá-lhe um ponto de partida a partir do qual você pode realisticamente planejar o caminho para seu próximo conjunto de metas.

2. Digitalize seu ambiente.

Depois de analisar o seu próprio negócio, você deve saber quais fatores externos podem afetar seus planos de negócios para o próximo ano. Avalie quais fatores econômicos, políticos e competitivos podem moldar sua abordagem para alcançar seus objetivos de crescimento. A leitura de artigos que visam tendências e previsões sociais e econômicas – tanto a nível nacional como local – pode ajudá-lo a determinar como a demanda por seu produto ou serviço pode mudar no próximo ano, de forma positiva ou negativa. Este é também um excelente momento para eliminar a pesquisa sobre a concorrência que você fez quando você lançou seu negócio e atualizou sua consciência de como eles estão se apresentando, como eles estão se comercializando e se eles têm planos para expandir. Armado com esta informação, você pode configurar seu negócio no caminho para ganhar.

3. Determine o que você precisará para atingir seus objetivos de crescimento.

Para alcançar o crescimento, você provavelmente precisará de um aumento nos recursos – seja sob a forma de financiamento, tempo, pessoal ou materiais. No que diz respeito ao financiamento, você quer determinar o que é importante para você, seja o acesso ao capital que pode ser usado para qualquer finalidade comercial (versus uso restrito), flexibilidade em termos de reembolso, velocidade, custo de capital ou outros fatores. Antes de garantir qualquer financiamento, certifique-se de compreender claramente os termos e avaliar o custo real.

Pense em outros recursos que você precisará. Você consegue lidar com o aumento de tempo que você precisará dedicar aos esforços de crescimento, ou você deve considerar a contratação de pessoal adicional para ajudar a manter suas operações do dia-a-dia? Você precisará de especialistas em certas áreas? Seja honesto consigo mesmo sobre os recursos que você precisará, a fim de evitar ser esticado muito fino e construir esses custos em seu plano.

4. Faça um roteiro.

Uma vez que você estabeleceu seus objetivos de alto nível, crie um roteiro realista sobre como você irá alcançá-los. Romper seus objetivos em pedaços mais pequenos e gerenciáveis ajudará a torná-los mais difíceis e mais importantes, tornando o sucesso mais provável. Faça-o passo a passo.

5. Ter um plano de contingência.

Ao fazer sua pesquisa e planejar com antecedência, você terá a maior chance de crescer com sucesso seu negócio, é sempre importante planejar o inesperado. Certifique-se de construir uma estrutura de mudanças no seu orçamento e ter uma fonte de financiamento de backup para ajudar a suavizar os solavancos na estrada.

Nove erros ao escolher uma carreira

Foto: internet

Quando você está selecionando uma carreira, há muita coisa em sua decisão. Você deseja escolher uma ocupação na qual você pode ser bem sucedido por muitos anos. É mais fácil se você não precisa fazê-lo com muita frequência. Isso significa que você deve escolher algo que não é apenas adequado para você, mas também pode ajudá-lo financeiramente no futuro. Aumente suas chances de tomar uma boa decisão evitando esses erros muito comuns.

1. Ouvir pessoas que lhe dizem que você deve ou não deve fazer algo:

Muitas pessoas pensam que devem ter uma palavra a dizer sobre a carreira que você escolhe: seus pais, seus amigos, o seu outro significativo. Na maioria dos casos, sua decisão terá pouco impacto sobre as outras pessoas em sua vida. Você, no entanto, terá que lidar com sua escolha nos próximos anos. Certifique-se de que a carreira que você escolhe é algo que você quer passar o seu dia fazendo.

2. Seguindo as pegadas de alguém:

Você pode ser perseguido pelas expectativas dos sua família para entrar na mesma ocupação em que estão. Você pode conhecê-lo como aquele que ajudou a colocar comida na sua boca, manteve um teto na cabeça e até mesmo passou o caminho pela escola. Tão difícil é fazer, ignore a pressão que você pode sentir para agradar aos que estão ao seu redor. Lembre-se, e se necessário, lembrar seus familiares, que fizeram suas próprias escolhas e agora é sua vez. O que é certo para eles pode não ser para você. A longo prazo, há uma boa chance de preferirem vê-lo feliz em uma carreira de sua preferência do que infeliz em um que você escolheu para agradá-los.

3. Não fazer o seu trabalho de casa:

Não escolha uma carreira sem ter tempo para aprender sobre isso. Além de uma descrição do trabalho, você deve certificar-se de reunir informações sobre tarefas típicas do trabalho, requisitos educacionais, ganhos e perspectivas de trabalho .

4. Não falando com aqueles no saber:

Sua tarefa de casa não está completa se você ignorar falar com alguém que atualmente trabalha no campo de carreira que você está considerando. Aqueles que estão envolvidos em uma ocupação podem fornecer uma descrição verdadeira do que realmente é trabalhar nela. Se possível, fale com algumas pessoas para evitar vieses individuais.

5. Indo para o dinheiro:

Trazer para casa um salário é importante, mas o tamanho dele não é realmente um grande preditor de satisfação no trabalho. Em outras palavras, você pode fazer seis figuras, mas se você odeia o que está fazendo, você terá dificuldade em aproveitar os frutos do seu trabalho. Procure um equilíbrio entre ganhar dinheiro suficiente para se sustentar e trabalhar que o atenda.

6. Ignorando quem você é:

Seu tipo de personalidade, interesses, valores e aptidões torná-lo mais adequado para algumas ocupações do que outros. Esses traços são intrínsecos, o que significa que você não pode alterá-los. Se você não os leva em consideração ao selecionar uma carreira, há uma excelente chance de você acabar em uma ocupação que não é adequada para você.

7. Não considerar localização, localização, localização:

Os empregos em determinadas ocupações estão concentrados em cidades específicas – São Paulo e Recife, por exemplo – ou em certos tipos de locais – como cidades versus áreas rurais. Se você mora em algum lugar que não oferece muitas oportunidades em seu campo e você não está disposto a se mudar, você terá problemas para conseguir um emprego.

8. Não olhando para além de uma lista de “melhores carreiras”:

Listas que lhe dizem o que as carreiras têm as melhores oportunidades do ano, década ou o que quer que seja, pode ser um guia útil quando se trata de selecionar uma carreira. No entanto, tomar uma decisão baseada unicamente em uma dessas listas é uma ideia terrível. Mesmo uma ocupação com uma ótima perspectiva pode ser um ajuste ruim, então você tem que arranhar abaixo da superfície para descobrir se você e uma carreira são uma boa combinação.

9. Ignorando o Futuro:

Embora você não deva fazer sua escolha apenas na aparência de uma ocupação em uma “melhor lista de carreiras”, ignorar as perspectivas de emprego é descuidado. Há uma boa chance de você não ter uma bola de cristal que possa dizer com certeza se uma ocupação vai crescer, ou pelo menos ser estável, ao longo de sua carreira. Você deve considerar se uma carreira tem um futuro promissor antes de começar a se preparar para isso. Você pode, pelo menos, eliminar algo se o futuro parecer sombrio.

Como treinar o presidente?

Foto: internet

Treinar é preciso e todos concordam com essa máxima, inclusive a presidência da empresa. Apesar disso, todos sabem como é difícil começar o trabalho por onde deve ser feito “de cima para baixo”.

A cúpula aprova e patrocina os programas de treinamento e desenvolvimento de suas lideranças, mas costuma não ter tempo, estar envolvido com a resolução de crises iminentes, reuniões inadiáveis, até já são profundos conhecedores do assunto a ser proposto… entre outras são as desculpas largamente conhecidas.

Sabendo que situações como essas realmente acontecem, pergunto… Justificam a ausência em momentos tão importantes para toda a equipe? Ou mesmo… Será que são situações verdadeiras?

Colocando lenha na fogueira, afirmo que diante dos meus anos de experiência treinando e implantando programas, por trás das alegações pode estar o medo de se expor, de parecer mais desatualizado que os subordinados e, principalmente, o receio de ser confrontado por um dos membros do grupo.

Por tudo isso, hoje venho propor opções para solucionar esse dilema e envolver a presidência e a diretoria nos programas de educação corporativa, basilares para a continuidade das empresas.

Vale lembrar que para qualquer modalidade ser aplicada, o princípio basilar é o sigilo total sobre os temas abordados e o próprio treinamento em si.

1. Treinamento só para Diretoria: para diminuir a exposição dos “cabeça da empresas” e o excesso de exposição, podem ser treinados em programa exclusivo, onde serão tratadas questões direcionadas aos dilemas que eles vivem.

2. Coaching e Mentoria: o diretor ou presidente é acompanhado por um Coach qualificado para desenvolver suas habilidades e auxiliar na evolução de sua carreira e entrega de resultados.

3. Treinamento individual: é acompanhar um por vez (treinador e presidente/diretor), onde não existem expectadores e as questões trabalhadas são as específicas de cada um, avaliadas no início e ao longo do acompanhamento.

4. Leitura Dirigida: utilizando as informações colhidas para iniciar o programa, são selecionados materiais atualizados a serem entregues aos diretores e/ou presidentes.

Entre livros, revistas, filmes, artigos, vídeos, app’s etc., a dinâmica se dá entre consumir o material e relatas as impressões percebidas em reuniões, apresentações ou relatórios periódicos, definidos desde o início.

Acredite que para crescer a sua empresa não precisa ser grande, nem mesmo ter muitos problemas ou funcionários. Fique atento para iniciar programas de educação corporativa desde já, inserindo na cultura empresarial a ideia de evolução e crescimento constante.

Tome as rédeas para o progresso, pois crescer como grande ou como pequeno te dará o mesmo trabalho.

Liderança na Era Pós-digital

Foto: internet

Chegamos à era onde informação e tecnologia já não são itens pertencentes à poucos privilegiados. Seu acesso é popular e estão disponíveis para todos, sem exceção.

Para te sintonizar sobre que estou falando, explico. A obra do Walter Longo “Marketing e Comunicação na Era Pós-digital” trata perfeitamente sobre a nova era que estamos vivenciando a transição exatamente AGORA. Sim, é difícil aceitar logo de cara, pois você deve estar pensando: “Como era pós-digital se estamos vivendo no mais puro mundo digital”.

Aí é onde está o pulo do gato, nós já pertencemos ao mundo digital, ele já é comum e tudo só funciona como ele dita, salvo raras exceções, claro. Justamente por termos o digital em todas as partes e sequer percebermos que está ali é que a sua onipresença e amplitude confirmam que a era digital já passou.

Interessante saber que enquanto vivemos o período da revolução, é difícil perceber que estamos dentro dele, pois parece ser apenas mais um dia. Parece que só depois que é contado no livro de história que temos a certeza sobre o que aconteceu.

Hoje, não há dissociação entre mundo digital e não digital, on e off-line. Está tudo junto e misturado.

Sim, o mundo está mudando e não tem como ficar fora dessa.

Sendo assim, você está pronto para as mudanças que estão acontecendo? Que tipo de líder você é ou está se lapidando?

O que você acha disso tudo? Escreva nos comentários abaixo!!!

Fica de olho no próximo artigo, pois esse tema tem muito pano pra manga e o debate continua!

Antecipar a Ação Para Ser Mais Forte Que o Medo

Foto: internet

Quando estamos imersos nos nossos próprios dilemas, dificilmente um pensamento produtivo sairá dali.

Quer jogar à seu favor?

Caso o seu medo seja forte o suficiente para lhe paralisar, pegue um papel e uma caneta e organize as ideias fazendo uma simples atividade.

No topo da folha escreva qual é o seu medo. Divida a parte restante em três colunas. Na primeira você escreverá o que acontece no pior cenário. Caso seu maior medo seja investir suas economias para abrir o negócio dos seus sonhos, não conseguir clientela para a empresa passa a ser o fator que lhe daria se arrepender.

Na segunda coluna escreva estratégias para se livrar de cada uma das situações descritas anteriormente. Lembre de sempre pensar em soluções que estejam sob o seu domínio. Não adianta supor que fatores externos agirão à seu favor.

Na última coluna você deve escrever como voltar ao ponto que está hoje. Isso servirá como precaução para acalmar a mente aflita por não ter certeza sobre o que está por vir.

Ao antecipar as possibilidades você prepara a sua mente para agir na velocidade necessária rumo à direção segura, planejada antes mesmo de tudo começar.

O Prejuízo do Sim

Foto: internet

Por vezes você se verá em um turbilhão de possibilidades, propostas e tentações. Ahh, como seria bom poder estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. Ter um clone!!! Produzir muito enquanto o outro eu estaria aproveitando os mares paradisíacos de Cancun.

É exatamente nesse momento que a sua vida se define, quando você percebe que as tais várias possibilidades não passam de armadilhas para você sair do seu foco principal, do seu plano de vida, da sua missão aqui na Terra.

Sim, uma oportunidade pode ser uma grande cilada!

De olho nisso, reveja suas atividades. Tem certeza que está caminhando na direção que você escolheu? Ou está seguindo o fluxo, para onde a manada está te levando?

É bem verdade, como é cansativo desenvolver esse raciocínio, trazer para a ponta do lápis, olhar para o espelho e ver. Daí, simplesmente, dizer não.

Sem demora, escolha a sua vida e vá.

Na Correria

Hoje em dia, dizer que está “na correria” é quase como um cumprimento quando as pessoas se encontram.  Interessante perceber que falar “estou tranquilo” virou sinônimo de baixa produtividade.

Pare e perceba se você é mais uma dessas pessoas que está se deixando levar e apenas repetindo o que diz a manada. Será?

Pois saiba que fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo nunca será sinal de produção qualificada.

Me desculpe a mulherada de plantão, mas que grande mentira essa história de dizer que nós somos capazes de realizar várias tarefas ao mesmo tempo. Tal conceito já caiu por terra e hoje é uma ideia banal sobre a verdade da vida.

Tão comum utilizar a correria como justificativa para algo mal feito ou não realizado. Uma visita, um telefonema, uma tarefa, a tal sessão de coaching, comer. Tantas coisas importantes são subjugadas por conta “da correria”.

O mais legal é que “A Correria” se transformou em um ente despersonalizado, alheio ao nosso corpo e cheio de poder. Sim, pois ”A Correria” tem vida própria!

Nesse momento, tiramos de nós a responsabilidade sobre nós mesmos e entregamos para “A Correria” todo o poder!

Nem sabemos sobre o que falamos, apenas falamos.

Fiquemos com algumas reflexões…

Será que tudo o que encaramos como urgente é mesmo urgente? Será que temos priorizado as coisas que realmente devem ser priorizadas? Precisamos mesmo viver de maneira desorganizada, atendendo as demandas que berram no nosso ouvido?

E, o mais polêmico… O quanto dessa correria é inventada?

Por fim, reflita com o objetivo de viver de forma consistente o presente.

A pausa também faz parte do trabalho

Foto: Divulgação/ Israela Ramalho

Entre tantas responsabilidades, a maior de todas está… CUIDAR DE SI MESMO.

Sabendo disso, faço uma pausa!

Bem no horário de trabalho, em frente à ele, faço uma pausa e me reconecto com a energia que desejo trazer pra cá, pro meu dia, pro meu trabalho e pros meus clientes.

Sendo assim, lá vou eu até o Chile, lugar onde aprendi que PLANOS são feitos para serem cumpridos, depois de serem repensados, discutidos e replanejados, se possível, com outra pessoa.

Comprovei o poder de FAZER JUNTO, pois lá conhecemos pessoas fantásticas e, juntas, compartilhando conhecimentos sobre o local, conseguimos fazer passeios muito mais divertidos, com segurança e econômicos.

Percebi o quanto é importante CONHECER A MIM MESMA, pois só assim utilizei cada segundo daqueles momentos vibrantes para me energizar, criar lembranças memoráveis, percebendo o valor do ineditismo de cada prédio, pessoa, música, alimento… do ar.

Sabe o que é melhor?

Tudo isso só foi possível graças a mim e a minha permissão para conectar-me a outras pessoas, ao lugar onde eu estava, aos instantes que vivi.

Daí você pode pensar… “É fácil, pois viajando todo mundo se torna ‘gente boa’.”

Te digo… de fato, ajuda, e muito! Mas será que é só isso?

A REALIDADE que vivo AGORA é bem diferente. Cá estou eu na minha mesa de trabalho, em frente ao computador, tendo que produzir, atingir metas e as emoções que insistem em querer tomar conta de mim são a pressa, a ansiedade, o cansaço e a fome!

No entanto, sabe a qual energia escolho me conectar? Veja as fotos.

E você, FALA PARA MIM qual é a energia que deseja se conectar durante o seu momento de pausa no trabalho.

Busque nas suas lembranças, entre as suas melhores lembranças. Conecte-se à elas, recarregue as energias.

Mas… lembre-se, deixe as memórias lá no passado e volte ao presente para continuar o seu dia com toda a alegria que você merece sentir.

Seja esperto, resgate as emoções, apenas elas. Nada de ficar divagando ao pensar nas pessoas, nos acontecimentos, nos lugares. Apenas as emoções que todo esse conjunto lhe proporcionou importa para você se energizar.

Esse exercício pode ser feito quantas vezes precisar, mas recomendo que não abuse. Caso contrário, estará vivendo no passado. Lembre sempre que precisa deixar o passado lá, no passado. Apenas USAR AS EMOÇÕES que sentiu para trazer boas vibrações para AGORA, seu momento presente.

Sendo assim, seja rápido, vá até lá e volte, pois A VIDA TE ESPERA.

Saia do piloto automático

Foto: internet

Ao acordar pela manhã, qual a sua primeira atitude? Escreva como comentário logo abaixo, antes mesmo de terminar a leitura do restante do texto.

Você bebe água, espreme e toma o suco do limão em jejum, beija o marido/esposa, vai ao banheiro, desliga o despertador, pega o celular, toma uma chuveirada, veste a roupa para malhar, segue até a cozinha para preparar o café da manhã etc.

Dê-me apenas uma resposta, sem arrudeios!

Você sentiu alguma dificuldade para encontrar esse comportamento? Teve que parar e refletir se realmente é esse seu primeiro movimento ao despertar? Chegou a perceber que faz alguma coisa no automático antes do que jurava ser a sua atividade inicial?

Caso sua resposta seja positiva, ok. Você está no piloto automático!

Se o que escreveu é um comportamento repetitivo, que tem como ritual ao iniciar sua rotina de todos os dias, está aí um hábito. É como uma mania, uma ação que se repete com frequência e regularidade.

Entenda que o importante não é ter fresquinho na memória tudo o que foi feito ao longo do dia. Não, esse não é o foco nessa leitura.

Estou falando aqui sobre ter domínio dos seus comportamentos e não ser pego de surpresa ao perceber que ao pegar o telefone para olhar a hora, acaba perdendo minutos preciosos, pois cede ao desejo incontrolável, mas imperceptível, de abrir todos os aplicativos para dar apenas uma olhadinha se não há alguma novidade.

Falo aqui sobre controlar seus hábitos e colocar no automático atitudes preciosas que irão lhe colocar no patamar acima ao que já conquistou, ou seja, evoluir até o próximo nível.

Com isso, busco te colocar presente para a verdade dos fatos. Você está perdendo tempo, muito tempo. Você tem tudo o que precisa para chegar onde deseja, não há dúvida.

Toda realização e toda riqueza só precisam de uma ideia para se concretizarem, você deve definir a rota e praticar ainda hoje.

Abra espaço no seu dia para a prosperidade que você merece!

Um Por Todos e Todos Por Elas

Foto: internet

O Dia Internacional da Mulher foi criado quando cerca de 130 operadoras morreram durante um incêndio em uma fábrica de tecidos, localizada em Nova York. Haviam ocupado a fábrica para realizar uma grande greve onde pediam por melhores condições de trabalho em diversos aspectos.

Em ato de barbárie, as operárias foram trancadas dentro da fábrica e incendiadas, comprovando a brutal violência com que costumavam ser tratadas.

Na política, as mulheres brasileiras ganharam o direito opcional ao voto em 1932, passando a ser obrigatório em 1946. Apesar de sermos maioria dos eleitores, ocupamos a mínima parte dos cargos políticos.

Percebendo no crescimento sustentável da sociedade e desenvolvimento para homens, mulheres e crianças, a ONU iniciou campanha na corrida pela igualdade de direitos para mulheres. Lançou em 2010 “Os Princípios de Empoderamento das Mulheres” (Women Empowerment Principles – WEPs), sendo formado por dez princípios em apoio às empresas e comunidades para que entendam como desenvolver as mulheres.

Conheça os sete Princípios de Empoderamento das Mulheres:

1. Estabelecer liderança corporativa sensível à igualdade de gênero, no mais alto nível. Caso você trabalhe como líder é seu papel promover, apoiar e fortalecer mais e mais mulheres em cargos mais de sempre crescentes.

2. Tratar todas as mulheres e homens de forma justa no trabalho, respeitando e apoiando os direitos humanos e a não-discriminação. Pagando salários iguais aos dos homens, garantindo boas práticas no ambiente de trabalho, além de ações políticas que estejam livres de discriminação com base em gênero.

3. Garantir a saúde, segurança e bem-estar de todas as mulheres e homens que trabalham na empresa.Zero de tolerância diante de práticas de violência ou abuso no trabalho, lembrando que o assédio moral e sexual fazem parte deste rol.

4. Promover educação, capacitação e desenvolvimento profissional para as mulheres. Além de abrir frente de trabalho em áreas não convencionais para mulheres, estimular a promoção em níveis onde o negócios de fato acontece.

5. Apoiar empreendedorismo de mulheres e promover políticas de empoderamento das mulheres através das cadeias de suprimentos e marketing. Estimular o crescimento ao contratar empresas geridas e fundadas por mulheres. Importante também respeitar a dignidade feminina em ações de marketing e todas as formas de comunicação interna e externa da empresa.

6. Promover a igualdade de gênero através de iniciativas voltadas à comunidade e ao ativismo social. Garantir a inclusão e o reconhecimento da liderança feminina.

7. Medir, documentar e publicar os progressos da empresa na promoção da igualdade de gênero. Reconhecer publicamente as ações de implantação da igualdade de gênero, permitindo que outras empresas aprendam e se inspirem ao perceberem ações que promovem a igualdade de gênero.

O PENUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento coordena as ações que ocorrem pelo mundo bem como as nacionais. Toma como base a inclusão da igualdade de gênero e o empoderamento feminino como ações para a redução da pobreza, construção de governabilidade democrática, prevenção de crimes e desenvolvimento de sociedade sustentável.

Dando voz ativa às mulheres, elas podem participar em igualdade com homens nos diálogos políticos e tomadas de decisões, influenciando os rumos determinantes para o futuro de suas famílias e nação.

Por tudo, vale entendermos de onde todo esse raciocínio surgiu para percebermos para onde estamos nos guiando. Lembrando que a valorização das mulheres implica em manter os direitos conquistados pelos homens, além de estimulá-los ao crescimento constante.

Agora que você já está plenamente consciente sobre o brevíssimo resumo aqui trazido, o que irá fazer?

Seja voz ativa no desenvolvimento da nossa sociedade.