O Prejuízo do Sim

Foto: internet

Por vezes você se verá em um turbilhão de possibilidades, propostas e tentações. Ahh, como seria bom poder estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. Ter um clone!!! Produzir muito enquanto o outro eu estaria aproveitando os mares paradisíacos de Cancun.

É exatamente nesse momento que a sua vida se define, quando você percebe que as tais várias possibilidades não passam de armadilhas para você sair do seu foco principal, do seu plano de vida, da sua missão aqui na Terra.

Sim, uma oportunidade pode ser uma grande cilada!

De olho nisso, reveja suas atividades. Tem certeza que está caminhando na direção que você escolheu? Ou está seguindo o fluxo, para onde a manada está te levando?

É bem verdade, como é cansativo desenvolver esse raciocínio, trazer para a ponta do lápis, olhar para o espelho e ver. Daí, simplesmente, dizer não.

Sem demora, escolha a sua vida e vá.

Na Correria

Hoje em dia, dizer que está “na correria” é quase como um cumprimento quando as pessoas se encontram.  Interessante perceber que falar “estou tranquilo” virou sinônimo de baixa produtividade.

Pare e perceba se você é mais uma dessas pessoas que está se deixando levar e apenas repetindo o que diz a manada. Será?

Pois saiba que fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo nunca será sinal de produção qualificada.

Me desculpe a mulherada de plantão, mas que grande mentira essa história de dizer que nós somos capazes de realizar várias tarefas ao mesmo tempo. Tal conceito já caiu por terra e hoje é uma ideia banal sobre a verdade da vida.

Tão comum utilizar a correria como justificativa para algo mal feito ou não realizado. Uma visita, um telefonema, uma tarefa, a tal sessão de coaching, comer. Tantas coisas importantes são subjugadas por conta “da correria”.

O mais legal é que “A Correria” se transformou em um ente despersonalizado, alheio ao nosso corpo e cheio de poder. Sim, pois ”A Correria” tem vida própria!

Nesse momento, tiramos de nós a responsabilidade sobre nós mesmos e entregamos para “A Correria” todo o poder!

Nem sabemos sobre o que falamos, apenas falamos.

Fiquemos com algumas reflexões…

Será que tudo o que encaramos como urgente é mesmo urgente? Será que temos priorizado as coisas que realmente devem ser priorizadas? Precisamos mesmo viver de maneira desorganizada, atendendo as demandas que berram no nosso ouvido?

E, o mais polêmico… O quanto dessa correria é inventada?

Por fim, reflita com o objetivo de viver de forma consistente o presente.